sábado, 6 de novembro de 2010

Novo método para detectar Câncer Bucal em testes


Uma nova tecnologia para diagnóstico precoce do câncer de lábios e de pele está em teste na Clínica de Dermatologia do Hospital das Clínicas de São Paulo. O exame é feito com um microscópio especial, semelhante a um aparelho de ultrassom, sem a necessidade de cortes ou de anestesia.

Em contato com a mucosa oral ou com a pele, o aparelho emite um laser de baixa frequência, que escaneia a área suspeita sem lesar o tecido. As imagens são ampliadas no computador, permitindo a análise detalhada das alterações celulares.

Único na América do Sul, o equipamento faz parte de um projeto de pesquisa da Faculdade de Odontologia da USP e foi comprado com a ajuda de um financiamento da Fapes (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

A coordenadora da pesquisa, Silvia Lourenço, explica que, por enquanto, a tecnologia não vai substituir a biópsia.
– A grande vantagem do equipamento é que ele permite examinar várias áreas suspeitas sem cortes ou anestesia. O exame é indolor.
Além disso, quando confirmada a existência do câncer, o equipamento poderá ser útil no processo de retirada do tecido afetado.

Mas, antes de ser incluído na rotina de atendimento do hospital, o microscópio será testado em 50 pacientes com suspeita de câncer labial em tratamento na Clínica de Dermatologia. A fase de pesquisa tem duração prevista de dois ano, explica Silvia.
 
– No futuro, pode ser que essa tecnologia substitua a biópsia. Mas primeiro é preciso avaliar sua eficácia.


fonte: R7


O que é o Câncer de Boca?


É um tipo de câncer que geralmente ocorre nos lábios (mais freqüentemente no lábio inferior), dentro da boca, na parte posterior da garganta, nas amígdalas ou nas glândulas salivares. É mais freqüente em homens do que em mulheres e atinge principalmente pessoas com mais de 40 anos de idade. O fumo, combinado com o excesso de bebida alcóolica, é um dos principais fatores de risco.

Se não for detectado de maneira precoce, o câncer bucal pode exigir tratamentos que vão da cirurgia (para a sua remoção) à radioterapia ou quimioterapia. Este câncer pode ser fatal, com uma taxa de sobrevivência de cinco anos de 50%*. Uma das razões pelas quais este prognóstico é tão negativo é o fato de que os primeiros sintomas não serem reconhecidos logo. O diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento.

Quais os sintomas deste tipo de câncer?
Nem sempre é possível visualizar os primeiros sinais que indicam a existência do câncer bucal, o que aumenta a importância das consultas regulares com o dentista ou o médico. Seu dentista foi preparado para detectar os primeiros sinais do câncer bucal. Contudo, além das consultas regulares, é preciso que você fale com seu dentista se perceber qualquer dos sinais abaixo:
  • Ferida nos lábios, gengiva ou no interior da boca, que sangra facilmente e não parece melhorar;
  • Um caroço ou inchaço na bochecha que você sente ao passar a língua;
  • Perda de sensibilidade ou sensação de dormência em qualquer parte da boca;
  • Manchas brancas ou vermelhas na gengiva, língua ou qualquer outra parte da boca;
  • Dificuldade para mastigar ou para engolir;
  • Dor sem razão aparente ou sensação de ter algo preso na garganta;
  • Inchaço que impede a adaptação correta da dentadura.
  • Mudança na voz.

Como evitar o câncer bucal?
Se você não fuma nem masca tabaco, não comece a fazê-lo. O uso do tabaco é responsável por 80 a 90% das causas de câncer bucal.
Fumo: A ligação entre o fumo, o câncer pulmonar e as doenças cardíacas já foi estabelecida (1). O fumo também afeta sua saúde geral, tornando mais difícil o combate a infecções e a reparação de ferimentos ou de cirurgias. Em adultos jovens, este hábito pode retardar o crescimento e dificultar o desenvolvimento. Muitos fumantes afirmam não sentir mais o odor ou sabor tão bem como antes. O fumo também pode causar mau hálito e manchar os dentes.

Sua saúde bucal está em perigo cada vez que você acende um cigarro, um charuto ou um cachimbo. Com esta atitude, suas chances de desenvolver câncer na laringe, na boca, na garganta e no esôfago aumentam. Como muitas pessoas não notam ou simplesmente ignoram os sintomas iniciais, o câncer bucal muitas vezes se espalha antes de ser detectado.
Mascar tabaco: O hábito de mascar tabaco eleva em 50 vezes a possibilidade de se desenvolver o câncer bucal.
O melhor a se fazer é não fumar nem usar quaisquer outros produtos derivados do tabaco. Quando uma pessoa pára de usar esses produtos, mesmo depois de vários anos de consumo, o risco de contrair câncer bucal se reduz significativamente. O consumo excessivo de bebidas alcoólicas também aumenta o risco de câncer bucal. A combinação fumo/álcool torna esse risco ainda muito maior.

Um comentário:

  1. Meu nome é Maria Cristina Falbo Martins, uma amiga fez uma biopsia de boca no hospital geral de bonsucesso e constatou-se q ela esta com Quelite actínica. Porém, o hospital não é especializado. Gostaria de saber se vocês sabem me informar como ela pode fazer para tratar-se experimentalmente na Clínica de Dermatologia do Hospital das Clínicas de São Paulo (ou no INCA-RJ se tiver o tratamento).Ou em outro hospital que possua o tratamento.
    Agradeço se me retornar, pois com este problema ela está atordoada. Se possível, mande um email para o endereço a seguir: www.crisfalbo@hotmail.com
    Maria Cristina

    ResponderExcluir

Obrigado por sua Visita! Seu comentário é muito importante para nós!
Mas antes, algumas dicas!
-Não utilize palavrões.
-Não utilize CAIXA ALTA para escrever todo seu comentário.
-Expresse-se sem precisar ofender ninguém.
-E volte sempre! ;)